0
Seu carrinho está vazio
Carboidratos

O que você precisa saber sobre D-ribose

Publicado em 19.04.2022 |
9 visualizações

Quem faz atividades físicas certamente já experimentou as dores musculares no dia seguinte. Isso acontece porque os níveis de energia baixam muito depois de fazer exercícios de musculação ou movimentos que desencadeiam uma fadiga muscular, e a suplementação de D-Ribose faz a diferença para a recuperação.

Para recuperar a energia empregada em treinos ou movimentos contínuos, o organismo precisa criar a ATP (adenosina trifosfato), substância central para a respiração celular e produção de energia. Sem ATP, a produção energética é muito menor.

O que é D-Ribose?

Nessa cadeia de reposição, a D-Ribose é o principal fornecedor de energia e atua como matéria-prima primordial para a formação de ATP. Cada célula no corpo humano produz essa molécula de açúcar simples (uma pentose, com 5 átomos de carbono, ao invés do açúcar, que é uma hexose, com 6 átomos de carbono), mas muito lentamente e em graus variáveis, dependendo do tecido.

Alguns órgãos do corpo humano também se encarregam de produzir a D-Ribose, mas, assim como o fígado, o coração, cérebro e tecidos musculares, produzem apenas o suficiente para servir o seu propósito.

A D-Ribose é ideal para você praticante de endurance que precisa daquela energia extra durante treinos e competições de alta intensidade ou que não consegue comer no pré treino.

Por que usar D-Ribose?

Infelizmente, as células não possuem a maquinaria metabólica para produzir D-Ribose rapidamente quando estão sob estresse metabólico — tal como a privação de oxigênio (isquemia) ou após atividade física extenuante (como correr longos percursos). Quando os déficits de fluxo de oxigênio ou sangue são crônicos, como na doença de coração, os tecidos não conseguem produzir D-Ribose suficiente. Desta forma, os níveis de energia celular se esgotam.

Evidências apontam que entre 20 e 25% das pessoas com mais de 45 anos, de ambos os sexos, mostram os primeiros sinais de disfunção cardíaca diastólica (endurecimento arterial) e correm o risco de contrair a insuficiência cardíaca com o passar do tempo. Este quadro é ainda mais frequente em pessoas com pressão alta, mulheres com prolapso da válvula mitral grave (quando a válvula que separa as câmaras do lado esquerdo do coração não fecha corretamente) ou pacientes com hipertrofia ventricular (doença que ocasiona o aumento da espessura do músculo da parede do ventrículo).

Para as pessoas que apresentam esses problemas e disfunções no coração, a D-Ribose aumenta a reserva de energia cardíaca e auxilia na restauração da função diastólica cardíaca normal.

Além de pacientes com problemas cardíacos, aqueles que têm fibromialgia e síndrome da fadiga crônica (doenças que apresentam dor muscular) podem apresentar o metabolismo ATP com defeito. Por este motivo, o uso de D-Ribose pode ser indicado.

Ainda, é preciso destacar que a D-Ribose é um repositor energético de rápida absorção que pode ser utilizado no pré-treino como uma fonte imediata de energia, e no pós-treino para recuperação dos estoques de energia. A relação da D-Ribose com a atividade física será detalhada nos itens a seguir.

Quais são os efeitos da D-Ribose no corpo?

Fadiga e exaustão ocorrem frequentemente como um resultado da diminuição de ATP nos músculos, que, quando são muito usados ou lesados, a baixa oferta de ATP torna-se particularmente vulnerável; e o processo de recuperar esses níveis, mais lento. A D-Ribose é um dos principais componentes de ATP. Quanto mais D-Ribose estiver disponível, mais rápido os níveis de ATP voltarão ao normal, o que ocasiona uma melhor e mais rápida recuperação.

Foi comprovado que a suplementação de D-Ribose serve para aumentar a função do músculo cardíaco após ataques do coração e para melhorar o bombeamento de sangue em pessoas com insuficiência cardíaca congestiva. Este efeito cardíaco pode ser ampliado se associado com outros suplementos mitocondriais, como: Coenzima Q10L-Carnitina e Magnésio.

A melhora da função do músculo cardíaco depois da suplementação de D-Ribose pode levar a um melhor fornecimento de sangue rico em oxigênio para os músculos esqueléticos, energizando-os para uma atividade aumentada.
Aumento dos níveis de ATP no músculo esquelético após a suplementação de D-Ribose pode ajudar a reduzir a dor muscular e a fadiga, que impedem as pessoas de manter a rotina de exercícios físicos.

Cardiologistas e fisiologistas utilizam cada vez mais a D-Ribose como um meio de “rejuvenescer” os músculos cardíacos e esqueléticos de seus pacientes e melhorar a qualidade de vida.

D-Ribose e atividade física

Muitas pessoas simplesmente têm dificuldade para reunir a energia necessária para iniciar e manter um programa de atividade física. Um estudo descobriu que o cansaço físico induzido pelo exercício foi o motivo mais importante de as pessoas pararem suas atividades físicas. Vale destacar que o exercício vigoroso pode reduzir os níveis musculares de ATP em até 20%, com um período de recuperação de até 72 horas quando os músculos foram trabalhados duramente.

O “esgotamento” sentido por muitos de nós após exercícios extenuantes também é causado pelo vazamento de produtos de degradação do ATP dos músculos na corrente sanguínea. Mais uma vez, D-Ribose é vital para manter nossas reservas de energia nos músculos. E isso pode significar menos “esgotamento e dor” e mais entusiasmo para o próximo treino.

Fisiologistas do exercício mostraram que a suplementação com D-Ribose aumentou a quantidade total de ATP produzido por até quatro vezes, proporcionando uma “reserva” substancial de energia que poderia ser utilizada quando necessário. E quando fisiologistas providenciaram D-Ribose para músculos em atividade, demonstraram um aumento de seis vezes na taxa em que os componentes de ATP foram reciclados para o uso. É importante destacar que reciclagem de ATP é muito mais rápida e mais eficiente do que a construção a partir do zero.

Em 2004, foi publicado um artigo de referência mostrando que, realmente, suplementos de D-Ribose ingeridos diariamente, três vezes, por três dias após o treinamento de corrida extrema, devolviam os níveis de ATP normais dentro de 72 horas, enquanto os que receberam placebo permaneceram com as taxas diminuídas.

É importante notar aqui que neste estudo, assim como em muitos outros, os suplementos de D-Ribose não aumentam a força ou a hipertrofia muscular. A restauração dos níveis normais de ATP após o “trabalho intenso” dos músculos, provavelmente, reduzirá o esgotamento que as pessoas muitas vezes experimentam após um treino intensivo ou quando começam a fazer atividade física.

Como tomar D-Ribose?

Ao contrário de muitos outros nutrientes que operam no nível de miligrama (ou mesmo micrograma), a D-Ribose é utilizada em gramas. A quantidade ideal de D-Ribose varia de acordo com cada indivíduo e com cada condição a ser prevenida ou tratada.

QUEM QUANDO
Indivíduos saudáveis que desejam uma proteção cardiovascular e maior conforto após atividade física extenuante 5 gramas / dia
Atletas que trabalham ciclos repetitivos de exercícios de alta intensidade 10-15 gramas / dia
Pacientes com insuficiência cardíaca leve a moderada, outras formas de doença cardiovascular isquêmica ou doença vascular periférica 10-15 gramas / dia
Indivíduos que se recuperam de uma cirurgia cardíaca ou ataque cardíaco, ou para o tratamento de angina estável 10-15 gramas / dia
Pacientes com insuficiência cardiaca avançada, a cardiomiopatia dilatada, indivíduos à espera de transplante cardíaco, ou as pessoas com angina frequente. 15-30 gramas / dia
Pessoas com fibromialgia ou doença neuromuscular 15-30 gramas / dia
Cookies
X

Este site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar navegando, você aceita nossa Política de Privacidade.